Postagens

Mulher virtuosa no século XXI

Imagem
Por Aender Borba O psiquiatra suíço, Paul Tournier diz em seu livro “A missão da Mulher”, que “a mulher possui o sentido da pessoa, enquanto o homem, o sentido das coisas”. Mas o que significa isso? Significa que o homem se concentra nos problemas de forma abstrata e impessoal. Ele sente-se à vontade no mundo das coisas e frequentemente esquece-se das pessoas. Na mesma lógica, percebemos que a sociedade ocidental foi edificada sobre valores reconhecidamente masculinos: objetividade, razão, poder, eficiência, rivalidade. Neste sentido, ela se constituiu sobre um mundo de coisas, uma máquina perfeita que transformou as relações em coisas, enquanto isso, a pessoa sofre. Experimente ouvir um homem e uma mulher conversando sobre um acidente automotivo transmitido pela televisão, provavelmente você perceberá que o homem se ocupará muito mais em descrever os detalhes do local do acidente, a velocidade em que o veículo estava, os estragos que o carro sofreu, etc. Notavelmente, a

Experiência Elementar em Psicologia

Imagem
No ano de 2011, iniciei este curso de pós-graduação. Fiquei impressionado com tudo que vi, ouvi e aprendi. Modificou radicalmente minha forma de lidar com as pessoas que acompanho nos meus distintos locais de trabalho. O grupo de Experiência Elementar em Psicologia , liderado pelo professor Miguel Mahfoud, é muito acolhedor e de profundidade intelectual inestimável. Fica a dica!!!

Quando Deus arregaçou as mangas

Imagem
Por Aender Borba Os textos base dessa reflexão são Isaías 52.7-10 e João 1.1-14 O Natal é uma época de grandes controvérsias no que diz respeito à nossa posição teológica sobre seu significado. Mas será que existe um “verdadeiro significado para o Natal”? A resposta é NÂO! Natal é uma coisa só! Sobre isso vamos falar agora. Invariavelmente, ouve-se dizer que o Natal é uma época marcada pela hipocrisia . A maioria das pessoas envolve-se em uma comoção coletiva que resulta na consequente lembrança e ajuda aos mais pobres; outros, com um espírito quase honesto, mas ignorante, podem achar que as trocas de presentes e festas abastadas de comida e bebida são um sinal de gratidão pelo fechamento de mais um ciclo de trabalho, conquistas, etc. Os mais radicais vão denunciar veementemente o deus deste século - o comércio, e dizer que "tudo é comércio". Outros estarão mais preocupados em esclarecer se Jesus nasceu mesmo no dia 25 de Dezembro, se o pinheiro é parte de uma trad

O lugar da pergunta na existência humana

Imagem
Por Aender Borba Um dos atributos humanos que mais caracterizam nossa matriz transcendente é a pergunta. A pergunta tem o poder de abrir horizontes de significado no próprio acontecer que a vida é. Antes de desenvolver, façamos um retorno às funções das palavras interrogativas em nosso idioma. Existem três classes de palavras interrogativas na língua portuguesa.  a)Pronomes adjetivos interrogativos: que, qual, cujo, quanto (incontável), quantos (contável), cujo, de quem. b) Pronomes substantivos interrogativos: quem, que, qual, quantos. c) Advérbios interrogativos: onde, quando, como, por que, para que.  Especialmente essa última classe de palavras, os advérbios interrogativos, são muito significativos para a dinâmica do psiquismo humano. Elas têm a função de orientação no tempo e no espaço ; conceitos que não costumamos apreender de forma atenciosa, pois, ao nascer, somos lançados no mundo submetidos a essas duas categorias fundamentais. Gastamos tempo (geralmente

Pascoa como evento comunitário

Imagem
Por Aender Borba Todo cristão deveria entender que a Páscoa é a principal festa do calendário judaico-cristão. Um dos grandes problemas da cristandade contemporânea é a falta de adesão ao tempo como algo que confira significado para suas vidas. Vive-se o aqui e agora. Na bíblia, vemos que Deus organiza o tempo para seu povo marcando tempos e épocas no decorrer do ano. As festas dos Hebreus estavam todas ligadas ao ciclo agrícola de Israel, costume preservado entre os judeus até os dias de hoje.  Como disse certa vez o Pr. Guilherme de Carvalho: "Cada sociedade tem uma forma de organizar o tempo. Cada um imprime no calendário sua forma de ver o mundo". Nosso calendário, por exemplo, é marcado por datas cívicas e comerciais ditadas pelo Estado e pelo Mercado. Entre os Hebreus, após 430 anos de cativeiro no Egito, Deus deu as festas para instruir o povo sobre como deveria ser a vida na nova terra (Canaã). Tudo começa com um grande livramento narrado no livro de Êxodo, a Pá

São Tomé e Príncipe - impressões de um psicólogo

Imagem
Por Aender Borba Janeiro de 2014 foi um mês para recordar eternamente. Tive a grata satisfação de fazer uma viagem para o país (ilha) africano de São Tomé; que foi viabilizada pela parceria entre a OMCV (onde trabalho) e a agência missionária JOCUM. A expedição foi programada e guiada pelo Tio Pedro; um homem extremamente comprometido com a vida humana e de uma sensibilidade inigualável, além de sua força hercúlea para o trabalho.  A equipe foi composta de 22 pessoas, dentre os quais 5 eram da OMCV. Realizamos um trabalho lindo junto às crianças da creche Criança Feliz, que fica nas dependências da base da JOCUM e é gerida por alguns missionários locais. Durante os 15 dias que permanecemos, as atividades se dividiram em dois tempos: pela manhã realizamos intervenções em sala de aula com as crianças e durante as tardes foi ministrada uma Oficina de Qualificação Pedagógica com temas sócio-psico-educacionais, que julgamos relevantes para as ações dos educadores locais. O restante

Pais que frustram os filhos os deixam traumatizados?

Por Aender Borba No meu trabalho com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade; mensalmente desenvolvo com a amiga e Assistente Social, Míriam Eunice Ferreira, um projeto que se chama "Encontro com as famílias". O objetivo desses encontros é fazer uma aproximação das famílias com os Projetos Sociais e, a partir das demandas sociais observadas pela nossa equipe, oferecer informações aos pais e/ou responsáveis para que se impliquem no cuidado e proteção de filhos. Nos encontros que realizamos durante o ano, o foco foi a proteção integral da criança. Tratamos de temas como "desenvolvimento da infância até a adolescência", "como evitar acidentes domésticos", dentre outros. Nestes encontros, alguns fatos me chamaram a atenção e me provocaram intensamente, destaco: a) o número assustador de mães, que solitárias (muitas vezes abandonadas) não podem se esquivar da responsabilidade de criar e educar os filhos. b) quando participam do núcle