Postagens

Mostrando postagens com o rótulo espera

Do que a tua alma tem sede?

Imagem
 Por Aender Borba A imagem aqui é muito mais forte do que normalmente estamos acostumados a visualizar. O angustiante bramir do cervo [a fêmea, no texto original] aprece de forma ardente e sanguínea. Esse animal sofre muito com a sede nas regiões orientais. Quando carente de água e incapaz de encontrá-la, ele faz um ruído lamentoso e ansiosamente busca as águas frescas; especialmente quando perseguido por caçadores [predadores] no deserto seco e escaldante, ele procura o manancial de água com intenso anseio e bravamente mergulha nele com avidez, tão logo tenha alcançado suas tão desejadas margens, uma vez extinta sua sede e escapado de seus mortais perseguidores. Quando nossas enfermidades se manifestam em grande escala e, como as ondas do mar, ameaçam tragar-nos, nossa fé parece desfalecer, e consequentemente tendemos a sucumbir pelo temor de que nos falte coragem, e assim receamos enfrentar o conflito. Dois males específicos surgem e por mais diferentes que sejam, assaltam ao mesmo t

Na sala de espera

Imagem
 Por Aender Borba Salmo 42:5;11 Situações em que o sofrimento é acentuado pela expectativa de que o socorro chegue são absolutamente angustiantes. Como uma mãe que chega ao pronto atendimento de um hospital com o filho acometido por uma enfermidade grave e o entrega nas mãos da equipe socorrista. A última palavra que ela quer ouvir é: espere! O coração aflito clama por urgência; esperar é insuportável, impossível. Os segundos se convertem em horas de aflição e os pensamentos oscilam entre o eterno e o temporal. Onde está Deus? Esta é a questão daqueles a que tudo se reduz a essa vida; já receberam seu galardão. Não precisam orar, porque se bastam a si mesmos. Os que esperam no Senhor, reconhecem que a única resposta suficiente para aquietar a alma vem de fora e precisa atravessá-la até que se pergunte, quantas vezes forem necessárias: por que estás abatida? Só há um que pode saciar a sede eterna da alma e ele tem poder para tranquilizar o coração de quem passa pelas maiores dores e sof

A tirania da pressa

Imagem
 Por Aender Borba Quando um atleta de alto rendimento se prepara para um grande evento esportivo, ele sabe que o caminho a percorrer será de trabalho duro e muitas restrições. O caminho entre o preparo e o dia da competição é marcado por uma espera que o motiva e o faz confiar que todo seu esforço será recompensado de acordo com o seu rendimento. Esta poderia ser uma bela analogia para a vida cristã, desde que se considere uma diferença crucial. Na jornada cristã devemos aprender a confiar mais em Deus e menos em nós mesmos, porque fé exige que perseveremos nas promessas que dele recebemos em sua santa palavra e isso nos faz esperar enquanto prosseguimos. C. S. Lewis diz que “odiamos esperar, porque a espera é uma voz que grita dentro de nós: ‘você não está no controle! ” Dizemos confiar em Deus, desde que ele submeta sua agenda à nossa. O próprio Abraão teve que aprender algo sobre isso quando tentou dar uma “ajudinha” para apressar a promessa. A pressa mata a virtude da espera e forj