A formação teológica do pastor

Este texto tem o objetivo de tornar pública a minha gratidão a Deus por tudo que ele me proporcionou vivenciar entre os anos de 2013 e 2017, quando, num período de muitas mudanças em minha vida, eu fui estimulado a retornar à cadeira de um curso de graduação. Lembro-me com muita alegria de uma conversa, que não deixou de ecoar em minha cabeça durante um bom tempo, com meu amigo e pastor, Guilherme de Carvalho: "Aender, você quer estudar mais para servir melhor à igreja?". Lembro-me que aquela pergunta atravessou minha biografia como uma flecha, pois àquela altura já não estava em meus planos fazer outra graduação, uma vez que o mestrado em Psicologia (minha primeira formação) estava às portas. 

Recordo de ter dito ao Guilherme que eu gostaria muito de me capacitar, mas que gostaria de buscar uma instituição de confessionalidade 100% reformada, para evitar de ter que filtrar pontos divergentes existentes nas diversas vertentes teológicas, a partir das aulas expositivas ou literaturas que não primam por essa tradição. Mesmo sabendo das diversas dificuldades que enfrentaria, decidi-me pelo "Seminário Martin Bucer", em São José dos Campos. Divisor de águas em minha vida. Gratidão eterna a Deus pela família Ferreira (Franklin, Marilene e Beatriz). 

Três anos e meio depois, aqui estou eu, celebrando esta grande vitória, que só foi possível com a ajuda da minha amada família, minha esposa Rozilene e minha filha Natalí, e minha comunidade de fé, a Igreja Esperança, em Belo Horizonte. 


Retomo aqui um texto que escrevi inspirado em várias aulas com os melhores mestres deste país e de fora dele. 
"Ninguém perde a fé porque estuda teologia. Alguém que abandona a fé ao entrar no seminário, já havia se perdido antes. A fé só é encontrada aos pés da cruz. Não se recupera a fé lendo livros. A apostasia não esta ligada à capacidade de conhecer a Deus, porque a teologia não resolve o problema da dúvida. A doença da igreja, em termos teológicos, é que não temos teólogos convertidos pela graça de Deus. Um regenerado é o único que pode ler as Escrituras, pois é iluminado pelo Espírito Santo. O seu labor está em Deus.
As mãos do teólogo devem estar sempre vazias para receber a revelação. Com as mãos cheias de instrumentalidade não é possível receber a dádiva, pois a salvação já foi dada. A teologia é um conhecimento dos salvos, que não controlam a Deus pelo conhecimento, mas dizem constantemente que O amam. Isso não é fácil!!
Teologia não é um exame laboratorial de Deus, não temos controle sobre ele, sua ação em nós não nos permite pensar mais nada sobre nós mesmos. Esse tipo de movimento exige humilhação. A teologia nasce do impacto do teólogo com o que o atropelou: Deus".
SOLI DEO GLORIA