O que é preciso levar em conta para escolher um serviço de psicologia?

Por Aender Borba

Um grande problema com que as pessoas se deparam na hora de escolher um psicólogo (ou um serviço de psicologia) é saber a quem recorrer. Certamente, a melhor e mais confiável maneira de optar ainda é a "indicação". Quem não tem um conhecido que ficou satisfeito com os serviços de um psicólogo e acaba por indicar aquele profissional? Infelizmente, o contrario também ocorre, e até com mais frequência que a satisfação.

O que pouca gente sabe é que não existe apenas uma Psicologia, na verdade são várias PSICOLOGIAS. Exatamente neste ponto, para o grande público, raramente se ouvirá um psicólogo dizer a qual abordagem teórica ele está vinculado e muito menos, que  tipo de postura clínica ele adotará no processo terapêutico. Afinal de contas todos são psicólogos, independente da psicologia que adotam como método de trabalho. - Permitam uma pequena ressalva, mas parece ser este um dos poucos momentos em que há consenso entre eles, quando omitem sua postura teórica em detrimento ao "ser psicólogo". Para manter o cliente, ou  para sustentar a posição de 'suposto saber'? - Como diria Lévi-Strauss "O xamã tem o  mesmo duplo papel que o psicanalista: um primeiro papel de auditor para o psicanalista, e o de orador para o xamã. Estabelece uma relação imediata com a consciência (e mediata com o inconsciente) do doente". (Antropologia Estrutural, pag. 229). Esse misto de mítico e cientifico é fascinante e muitas vezes rouba do psicólogo a visão do outro que se lhe apresenta em busca de ajuda.

Qualquer proposta psicoterapêutica precisa necessariamente ter uma teoria, um  método e uma técnica, por isso descreveremos brevemente algumas das abordagens mais utilizadas  na  Psicologia.

Psicanálise

é um campo clínico e de investigação teórica desenvolvido por  Sigmund Freud, médico neurologista vienense nascido em 1856. Propõe-se à compreensão e análise do homem, compreendido enquanto sujeito do inconsciente.  Essencialmente é uma teoria da personalidade e um procedimento de psicoterapia. Sendo inquestionável, em nossos dias, suas contribuições para compreensão da ética, moralidade e cultura humana. Sem dúvida alguma a Psicanálise revolucionou a Psicologia do Séc. XIX e como não poderia deixar de ser, produziu outros grande pensadores dissidentes de Freud como: Carl Gustav Jung, Melanie Klein, Jacques Lacan e outros, que contribuíram grandemente para o desenvolvimento das técnicas psicoterápicas dentro da Psicanálise.


Behaviorismo (Comportamentalismo)

é o conjunto das teorias psicológicas (dentre elas a Análise do Comportamento, a Psicologia Objetiva) que postulam o comportamento como o mais adequado objeto de estudo da  Psicologia. Comportamento geralmente é definido por meio das unidades analíticas respostas e estímulos. Seus maiores  representantes foram John B. Watson, Ivan Petrovich Pavlov (Behaviorismo Clássico) e Burrhus F. Skiner (Behaviorismo Radical). Dentro desta visão de homem vem surgindo com grande força uma abordagem conhecida como (TCC) Terapia Cognitivo Comportamental, que utiliza o conceito da estrutura “biopsicossocial” na determinação e compreensão dos fenômenos relativos a psicologia humana, no entanto constitui-se como uma abordagem que focaliza o trabalho sobre os fatores cognitivos da psicopatologia.  O objetivo da Teoria Cognitiva é descrever a natureza de conceitos (resultados de processos cognitivos) envolvidos em determinada psicopatologia de maneira que quando ativados dentro de contextos específicos podem caracterizar-se como maladaptativos ou disfuncionais, além de fornecer estratégias capazes de corrigir estes conceitos idiossincrásicos.


Existencialismo

é uma corrente filosófica e literária que destaca a liberdade individual, a responsabilidade e os fenômenos da subjetividade do ser humano, como a ansiedade, a culpa e o sofrimento. Considera cada homem como um ser único que é mestre dos seus atos e do seu destino. O existencialismo foi inspirado nas obras de Arthur Schopenhauer, Soren Kierkegaard, Fiodor Dostoiévski e nos filósofos alemães Friedrich Nitzsche, Edmund Husserl e Martin Heidegger, e foi particularmente popularizado em meados do século XX pelas obras do escritor e filósofo francês Jean-Paul Sartre e de sua companheira, a escritora e filósofa Simone de Beauvoir. Uma corrente famosa de psicoterapia que também se fundamenta no existencialismo é a Gestalt terapia, criada por Fritz Perls 

Humanismo
é um ramo da psicologia surgida como uma reação ao determinismo dominante nas praticas psicoterapêuticas. Seu enfoque é a  humanização da psiquê, considerando o homem como um processo em construção, detentor de liberdade e poder de escolha. A teoria humanista tem como principais teóricos Abraham Maslow e Carl Rogers, os maiores responsáveis pela projeção dos seus postulados no mundo. A grande contribuição desta escola pode ser vista na ênfase da experiência consciente, na crença na integralidade entre natureza e a conduta do ser humano, no livre-arbítrio, espontaneidade e poder de criação do indivíduo, e no estudo de tudo que tenha relevância para a condição humana.

Cada uma destas abordagens teóricas devem ser respeitadas e acima de tudo é necessário que aquele que busca ajuda em psicoterapia pergunte ao terapeuta: "qual é a sua Weltanchaung (visão de mundo)?", pois a maneira como o profissional vê o homem, será a maneira como tratará quem está buscando ajuda.     

Estas são as principais correntes de pensamento da Psicologia, certamente falaremos mais sobre cada uma delas, suas derivações e influências. O objetivo deste sucinto texto é ajudar àqueles que desejam iniciar uma psicoterapia a, pelo menos, saber onde e como buscar auxílio.