Postagens

Conferência - O Caos da Alma - 2a parte

Imagem
Conferência gravada no dia 12 de dezembro de 2021 na Igreja Batista Sarom em Campo Grande - MS. Falamos sobre aspectos das enfermidades da alma e uma proposta de compreensão desses fenômenos de forma integral. 

Conferência - O Caos da Alma - 1a parte

Imagem
Conferência gravada no dia 11 de dezembro de 2021 na Igreja Batista Sarom em Campo Grande - MS. Falamos sobre aspectos das enfermidades da alma e uma proposta de compreensão desses fenômenos de forma integral. 

Aconselhamento Cristão - Livro do Eric Johson

Imagem
J á está disponível o sétimo episódio do podcast Vida Nova!  Desta vez, Jonas Madureira e Aender Borba apresentam o lançamento do livro "Aconselhamento Cristão", de Eric Johnson, e comentam sobre as principais questões abordadas no livro: - Como o cristão pode relacionar psicologia e teologia? - Usar a psicologia significa que as Escrituras não são suficientes? - Toda doença emocional é fruto de um pecado? - É necessário ser cristão pra se ter bem-estar emocional? Tudo isso no sétimo episódio do podcast Edições Vida Nova. Disponível nas plataformas Spotify, Deezer, Apple Podcast, Google Podcast, Amazon Music e Anchor. Confira acessando o link clicando na imagem. #Podcast   #JonasMadureira   #Psicologia   #Aconselhamento   #EdicoesVidaNova

Vida espiritual e disciplina

Imagem
 Por Aender Borba Até por volta do séc. XI, a palavra "disciplina" significava "instrução, conhecimento, matéria a ser ensinada", deriva de "discipulus", ou, "aquele que aprende", do verso "discere" (aprender). Nos séculos seguintes assumiu o significado de "manutenção da ordem, obediência, respeito, regra, condicionamento...". Na vida moderna disciplina tornou-se sinônimo de (auto)controle diante das agitações e da velocidade com que se tem que responder a tudo no mínimo tempo e máxima qualidade, o que durante alguns anos foi chamado de "inteligência". Essa inquietação do homem moderno o enche de PREOCUPAÇÃO por coisas que talvez aconteçam e CULPA pelas que já aconteceram. Por detrás dessa preocupação e culpa existe um medo profundo de espaços vazios, pois PARAR é uma oportunidade de algo que não prevemos que aconteça; julgamos ter total controle sobre nossa existência. Veja o que Nouwen diz sobre o assunto: "P

Cuidados para a alma

Imagem
Dois livros indispensáveis para quem lida com aconselhamento e quer ir além das nomenclaturas que definem os grupos a partir de sínteses preconceituosas e reducionistas sobre as abordagens que lidam com o cuidado de pessoas.    Existem poucos assuntos sobre os quais os cristãos divergem muitíssimo, tendo opiniões distintas, e estão mais profundamente divididos que a psicologia e o cuidado da alma. O que acontece nessa área do pensamento e a prática que a torna tão controversa? Este livro procura oferecer uma explicação. Mas a maior parte do nosso tempo será investido em uma lista de prioridades mais construtivas: uma proposta para uma estruturação da base para o cuidado cristão da alma. O livro é inegavelmente uma proposta de psicologia cristã. O projeto de uma psicologia cristã ainda não foi completamente compreendido, e sempre haverá diferentes noções do que exatamente ela é. Essa ciência provém de um entendimento cristão da natureza humana e, portanto, pode ser distinguida de versõe

Auto esti(g)ma

Imagem
 Por Aender Borba Quando a totalidade da pessoa é estigmatizada, ela perde a capacidade de se definir e de se posicionar no mundo, uma espécie de vitimização, que aprisiona a identidade em grilhões de fracassos contínuos e quase sempre sem a possibilidade de ver uma luz no fim do túnel. "Eu não consigo porque sou doente..." Ser doente é uma definição de totalidade, porque o que eu sou é o que me define em totalidade, mas estar doente pode ser só um limite que eu preciso reconhecer. Alguém pode achar que o contrário do estigma é a auto-estima (exagerada), mas na verdade nada mais é que o lado oposto da despersonalização que o estigma produz. Encher o ego de afirmações positivas sem um senso de realidade sóbrio é terrivelmente adoecedor. O estigma direcionado para o outro polo, mantém a pessoa aprisionada, mas como ela passa a ver só a si mesma, não percebe que a luz não chegou ao calabouço, pois o que a faria livre seria quebrar os grilhões e não somente ver a luz do lado de f