Canal da Natalí Molinari - orgulho do papai

Por Aender Borba

Cada vez me surpreendo mais com o desenvolvimento de nossa filha, Natalí Molinari. Quem a conheceu há alguns anos sabem do que estou falando... 

Sua inteligência linguística sempre foi algo notável, mas era tímida e introvertida. Isso mudou e hoje ela tem se mostrado totalmente modificada. Desinibida, espontânea, esperta e, como sempre, falante. 

Deixo aqui alguns vídeos do seu canal no Youtube que mostram por si só o que estou falando. Ela mesma grava, edita, produz e roteiriza tudo. A habilidade do improviso também tem se destacado, como na entrevista com uma atriz infantil que ela encontrou no condomínio de uma amiga em São José dos Campos.

Clique em CANAL DA NATALI MOLINARI







Pais de filhos adolescentes, ouçam a instrução do Senhor.

Por Aender Borba

Escrevemos um artigo sobre a relação de pais e filhos adolescente. Nesta publicação falamos da postura dos pais e em breve falaremos na perspectiva dos filhos.  

O Voltemos ao Evangelho é um dos maiores portais de conteúdos cristãos do Brasil e sentimo-nos honrados pelo convite de escrever para eles.

Para ler acesse:

O décimo Natal da nossa filha

Por Aender Borba

Todos os anos, o Natal se transforma em tema de infinitas discussões sobre o seu “verdadeiro” sentido. Sempre ouço com muitas restrições aqueles sujeitos que se propõem a pronunciar a revelação do “verdadeiro sentido do natal”, pois, ao fazerem isso advogam para si a responsabilidade de pronunciar qual mentira foi dita. Entra ano, sai ano, os ‘paladinos da sabedoria infinita’ persistem nos mesmos e enfadonhos assuntos. A falta de criatividade e os perspicazes algorítimos de lembrança (eu chamo de algorítimo do papagaio de pirata) do google, facebook e outros contribuem para que as mesmas polêmicas sejam retomadas, só confirmando que pouca gente tem algo realmente interessante a dizer.
As teorias sobre presépios, os prefeitos pagãos ou sobre o Noel, o espírito de consumo e outras variáveis de negativação natalina, são as redes e confira.


Narrativa Bizantina do Natal

Este é o décimo Natal que celebramos com a nossa filha. Em uma breve e muito interessante conversa com o querido amigo Gabriel Lazarotti me dei conta de que, eu e minha esposa, nunca precisamos negativar nenhum conceito natalino para ensinar para nossa filha o único fato que deve ser comemorado no Natal: a encarnação do Verbo.
Este é o primeiro ano em que colocamos presentes debaixo da árvore. Fazemos isso porque amamos as luzes piscando a noite e sentimos muita gratidão ao colocar lembrancinhas embrulhadas em lindos papeis coloridos. A casa fica bonita, nossas almas se alegram e se alimentam com a certeza de que fomos presenteados com a maior de todas as dádivas: JESUS.
Aqui em nossa casa, usamos a imaginação, com aqueles retoques lindos da fantasia infantil, que nos educa a esperar pelos presentes que receberemos ao abrir o pacote debaixo da árvore, mas sobretudo, pela alegria de presentear alguém que amamos. Gostamos de ser surpreendidos! Isso nos ajuda a atenuar a perspectiva imediatista de controle de tudo que o mundo hiper-acelerado nos impõem. Um santo remédio para a ansiedade!
Praticamos a criatividade, que vai desde os enfeites ao preparo de tudo, para acolhermos uns aos outros da melhor maneira possível. Oramos, cantamos, recitamos salmos e contamos casos…
Aplicamo-nos à gratidão por servimos um ao outro em amor. Amor que veio a nós, quando Verbo se fez carne e o mundo ficou cheio da glória do unigênito filho de Deus.
No Natal, nossa filha NATALÍ celebra a vida de Jesus e está protegida contra as mentiras, não porque negativamos algum conceito, mas, porque afirmarmos o que importa sem negligenciar nenhum aspecto da sua constituição humana! Não existe nada novo a ser dito sobre o Natal, por isso, vamos recontar e celebrar essa mesma história até que ele venha! A alegria e a fé dela demonstram isso! Hoje a noite, vamos cear, orar e continua afirmando o fato histórico que uniu presente, passado e futuro na narrativa fantástica e maravilhosa que completa nossos corações com as mais imensuráveis bênçãos.
Celebramos a festa porque Deus “nos revelou o mistério da sua vontade, de acordo com o seu bom propósito que ele estabeleceu em Cristo, isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos." Efésios 1:9,10